quinta, 20 de dezembro de 2018 - 09:36h
Universitária doa 3,5 litros de leite por semana e reforça chamado de voluntárias
Antônia Almeida, 24 anos, é uma das 92 doadoras que abastecem o Banco de Leite do Hospital da Mulher; doações registraram queda de 30%.
Por: Claudia Cavalcanti
Foto: Maksuel Martins/Secom
Antônia se orgulha de poder ajudar outros bebês que não conseguem se alimentar no seio de suas mães

É na Linha D no km 9, em Macapá, que mora a mãe que mais doa leite ao Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), a estudante universitária Antônia Almeida, 24 anos. Ela é mãe da pequena Lara Vitória, de apenas 5 meses e doa, em média, 3,5 litros de leite toda semana.

Antônia é uma das 92 doadoras que abastecem o Banco de Leite que atende a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HMML. A doadora conta que foi até o Banco de Leite depois que os seios dela ficaram inchados por causa do excesso de leite. “Chegando lá, a equipe me acolheu muito bem”, recorda a jovem que se orgulha em poder ajudar outros bebês que não conseguem se alimentar no seio de suas mães.

“Sempre tive vontade de doar leite. É um ato de amor e de compaixão pelo próximo”, classifica a universitária acreditando que se a filha, Lara Vitória, precisasse do alimento outras mães iriam ajudar. “Graças a Deus ela não precisou, mas muitas crianças que estão lá precisam desse leite”, reforça a doadora.

O chamado da voluntária é por causa da queda de 30% nas doações. A falta de leite tem prejudicado a alimentação dos bebês internados na UTI neonatal do Hospital da Mulher. A necessidade do produto é diária, especialmente, para os prematuros de baixo peso. Por isso, o Banco de Leite está buscando voluntárias para abastecer o estoque nesse fim de ano.

Doações

A coordenadora do BLH, Joelma Oliveira, explicou que para se tornar uma doadora, basta entrar em contato com o Banco de Leite através do número (96) 98417-733 ou pelo e-mail bancodeleite.ap@gmail.com que uma técnica em enfermagem irá junto com o motorista até a casa da voluntária realizar o cadastro.

“Serão feitos os testes rápidos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Se a doadora for aprovada, ela irá receber um kit e orientações de como fazer a retirada e armazenamento correto do leite. Qualquer mulher pode ser uma doadora desde que esteja saudável e amamentando”, explicou Joelma Oliveira.

A doadora precisa ter em mãos o cartão de pré-natal e, caso seja necessário, serão refeitos no próprio local os testes rápidos para comprovar a saúde da voluntária. Caso ela seja aprovada, um cadastro será feito e ela receberá orientações sobre a assepsia da mama e os cuidados com o armazenamento do leite. A doadora pode entregar os recipientes com o alimento, no próprio Banco de Leite ou requisitar que a equipe de captação busque o produto em sua residência.

A rota de coleta do carro do Banco de Leite atende a zona sul de Macapá às segundas e terças-feiras; a zona norte às quartas e quintas e, às sextas-feiras, a rota atende o posto de coleta e as doadoras externas do município de Santana.

Além de Macapá, a cidade de Santana também possui um posto de coleta que funciona no Hospital Estadual de Santana (HES) das 7h às 18h. As doadoras podem entrar em contato para receber orientações através da equipe de captação.

 

 

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

SESA - Secretaria da Saúde
Av. FAB n° 069 - Centro. CEP: 68908-908. Macapá-Ap - (96) 2101-8551 - infosaude@saude.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2019 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá