segunda, 21 de outubro de 2019 - 10:03h
Outubro Rosa: mastologista orienta para a prevenção e hábitos de vida saudáveis
A taxa de cura é maior quando diagnóstico é feito precocemente; 39 mulheres foram diagnosticadas com câncer de mama este ano, pela Unacon.
Por: Poliana Tavares
Foto: Divulgação Sesa

No mês dedicado à prevenção do câncer de mama, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), conversou com o médico mastologista Mauro Secco, que reforçou o alerta sobre os principais cuidados para evitar a doença. O especialista falou sobre os sinais que o corpo emite e a importância dos exames primordiais para rastreamento e diagnóstico precoce.

Hábitos de vida         

A adoção de hábitos saudáveis pode ser importante aliado na prevenção primária do câncer de mama. Uma dieta equilibrada evita o sobrepeso e melhora a qualidade de vida. "É possível diminuir os riscos com hábitos de vida saudáveis. Manter uma boa alimentação, pobre em gordura, açúcar, além de evitar o consumo de álcool e cigarro, diminui em 30% as chances de ter câncer", explicou Mauro Secco.

Diagnóstico precoce

Para uma prevenção secundária o mastologista explicou que são os exames que fazem o diagnóstico precoce. Inicia com o autoexame. A taxa de cura é maior quando o diagnóstico é feito precocemente, ou seja, quando o tumor é detectado com menos de dois centímetros de diâmetro, o que é fundamental para um tratamento bem sucedido.

De acordo com Secco, com o autoexame é possível descobrir apalpando as mamas à procura de nódulos com 2 centímetros - pois é um autoexame que toda mulher deve começar a fazer a partir dos 20 anos de idade. "A nossa realidade é que as pacientes chegam no hospital com tumor de seis centímetros achando que começou ontem. Mas não. Esse nódulo já está há um ano na mama. Essas mulheres não se palpam, não se olham. Por isso a importância do autoexame", frisou.

Mamografia

O mastologista explicou que a determinação da Sociedade Brasileira de Mastologia é que a mamografia de rastreamento seja feita uma vez ao ano em paciente a partir de 40 anos de idade, pois 25% dos casos de câncer de mama estão em pessoas entre os 40 e 50 anos.

"A mamografia é o melhor método que se dispõe para o diagnóstico do câncer de mama. Ela reflete na redução da mortalidade em estudos efetuado de rastreamento. O exame permite um tratamento mais adequado, determinante, para uma melhor qualidade de vida, com menos mutilação e cura da doença", esclareceu Mauro Secco.

No Amapá, por meio do convênio com o Governo do Estado, o   Instituto de Prevenção Hospital de Amor oferta o exame para mulheres com idade entre 40 e 69 anos. Para ter acesso ao procedimento a usuária deve procurar a unidade de saúde que fica na Rodovia Norte/Sul, no bairro Infraero, em Macapá, de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 17h. É preciso ter em mãos a Carteira de Identidade, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência.

A mamografia é um exame simples, realizado com um aparelho (mamógrafo) que faz um raio X da mama. O exame permite a descoberta do câncer de mama ainda no início.

Dados

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns de câncer entre as mulheres, depois do câncer de pele. De janeiro a setembro de 2019 a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) registrou 39 casos de câncer de mama. No ano passado, 82 mulheres foram diagnosticadas com câncer de mama, segundo a Unacon.

 
 
NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

SESA - Secretaria da Saúde
Av. FAB n° 069 - Centro. CEP: 68908-908. Macapá-Ap - (96) 2101-8551 - infosaude@saude.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2019 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá