domingo, 07 de abril de 2019 - 09:21h
Centro de Reabilitação utiliza atividades recreativas como terapia para pacientes autistas
Das 180 crianças com necessidades especiais atendidas pelo Creap, 45 são autistas; pacientes recebem atendimento multidisciplinar.
Por: Jamylle Nogueira
Foto: Jamylle Nogueira
Atividade pode ser desenvolvida em qualquer ambiente lúdico ou da natureza

As atividades sensoriais como andar descalço na grama, areia, pedras e banho de piscina, foram as formas de terapia alternativa, utilizadas na última sexta-feira, 5, para pacientes autistas do Centro de Reabilitação do Amapá (Creap). A programação buscou promover a dos pacientes autonomia, interação social e demonstrar que momentos de lazer, contribuem para a evolução do tratamento.

Daniel Sena com apenas 5 anos é um dos pacientes que demonstram evolução significativa através das terapias que realiza no Creap. Aos 2 anos de idade, o garoto foi diagnosticado com grau severo do Transtorno de Espectro Autista (TEA) e, por esse motivo apresenta dificuldades motoras e atraso na fala. “Daniel não andava, não falava absolutamente nada. Hoje em dia ele consegue se movimentar apoiado em alguns objetos e pronuncia algumas sílabas”, afirma a mãe, Leucimar Sena.

Leucimar conta que o Creap tem sido fundamental para o desenvolvimento de Daniel, pois através do tratamento que faz no centro, ela percebeu que os momentos recreativos, estimulam seu filho a interagir com outras crianças, dentro de suas limitações. “Não tenho palavras para descrever o quanto esse momento significa pra mim e para meu filho. O sorriso no rosto dele demonstra o quanto este lugar o deixa feliz. Ter um filho com autismo é um grande aprendizado, pois a gente passa a valorizar os mínimos detalhes”, declara Leucimar.       

O jovem Arlan castros, 26 anos, é pai de Raiquelen de apenas 3 anos de idade. A menina que possui grau moderado de TEA, faz acompanhamento no Creap desde os 2 anos. Arlan confessa que tinha receio de levar sua filha para lugares com muitas pessoas, com barulho ou até mesmo em parquinhos. “Eu tinha medo que ela se irritasse ou se machucasse, mas percebi que foi tudo o contrário, ela ama piscina, é apaixonada por música e adora brincar com outras crianças. Os autistas têm um dom de fazer a gente ver a vida com mais amor. Qualquer evolução que minha filha tenha é motivo de grande felicidade pra nossa minha família”, destaca Arlan.

Segundo o Psicólogo do Creap, Nazir Rachid, momentos como esse mostram para as famílias que as terapias realizadas dentro da instituição também podem ser desenvolvidas fora, porque possuem recursos lúdicos e um ambiente natural que os ajuda a descontrair e desenvolver suas habilidades. “O ponto chave dessa programação é também trazer essa compreensão para os pais, e quebrar o preconceito, pois faz parte do tratamento e evita que o autismo evolua para um grau mais avançado”, ressalta Nazir.

Creap

A programação do Creap foi realizada na Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB), em homenagem ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo, lembrado no dia 2 de abril. Atualmente o Centro de Reabilitação atende 180 crianças com necessidades especiais, sendo que 45 são autistas. A unidade oferece acompanhamento com a equipe multidisciplinar composta por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogo, fonoaudióloga, assistente social, nutricionista, ortopedista e neurologista.

Para que crianças com necessidades especiais possam ter acesso aos serviços do Creap, é preciso que os responsáveis tenham um encaminhamento médico, não necessariamente com diagnóstico fechado, para que seja realizado o cadastro. Após esse processo há uma lista de espera, e quando há vagas, a equipe do centro entra em contato com família para que se inicie o tratamento que dura, em média, seis meses.

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

SESA - Secretaria da Saúde
Av. FAB n° 069 - Centro. CEP: 68908-908. Macapá-Ap - (96) 2101-8551 - infosaude@saude.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2019 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá